Busca

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Sonhei com alguem que não conhecia

Enviado por Marina e, 26 de setembro de 2011

Imagem: escrevendosonho.blogspot


Caro Robson

Há exatamente 10 anos tive um sonho do qual nunca me esqueci, e na verdade ainda não entendi o porque de ter tido este sonho. Tudo se passou num momento de grande estresse e preocupação, estava em época de vestibular e estava decidida a passar, estudava muito, e muitas vezes passava noites acordada estudando. Num determinado dia, vencida pelo cansaço, adormeci antes
das 4 da manhã, pelo menos acredito que eu tenha adormecido, pois não faria muito sentido acreditar que estava acordada. 

Escutei um barulho vindo da janela, como se alguém tivesse batendo para me acordar. Fiquei assustada, claro, achei que era algum ladrão verificando se tinha alguém em casa. As batidas se repetiram, e depois uma voz masculina surgiu e me disse: "Marina, diga a mãe de Danielle que não se preocupe, pois ela vai ficar bem." E sumiu. 

No outro dia acordei com uma sensação de angústia imensa, uma dor no peito que eu não sabia explicar. Minha irmã se chama Daniela, e pensei: "Será que vai acontecer algo com minha irmã?" . Sempre tive uns sonhos com pessoas da família morrendo, e em menos de 1 semana essas pessoas partiam, isso me deixava muito mal. Pois isso me fazia sofrer com antecedência. Eu também tinha uma amiga que se chamava Danielle, e comecei a imaginar que poderia ser ela.

Uns 4 dias depois, resolvi sair com uns amigos, fazer um lanche durante a noite. Entre esses amigos estava a minha amiga Danielle. Demos uma volta na praia e paramos numa lanchonete um pouco perto de casa, descemos do carro e quando fomos nos sentar ouvimos uma freada. Depois veio o estrondo, e como se fosse uma câmera lenta, ví um carro capotar por cima do outro carro e dois corpos serem atirados para o asfalto. Fiquei sem acreditar no que tava vendo, ainda assim conseguí gritar: "Alguem por favor ajude aquelas pessoas". E assim fomos todos. Havia um homem e uma mulher no asfalto ambos sem reação, no outro carro havia um casal também, mas estavam aparentemente bem. Paramos um carro e levamos a garota para o hospital, a ambulância tava demorando a chegar e vimos que ela não iria resistir. Peguei a bolsa dela para que ela pudesse ser identificada e a família avisada. Ao chegarmos no hospital, alguns minutos depois ela não resistiu e veio a falecer. Lembrei da bolsa na minha mão e fui procurar a assistente social para que a mesma pudesse avisar a família. Abrí a carteira e ví uma foto dela com uma criança de uns 3 anos. Lágrimas correram pelo meu rosto. Peguei então seu documento e lí o seu nome: "Danielle". Um calafrio me veio a espinha, minhas pernas ficaram trêmulas, perdí a voz. Fui para casa, peguei uma bíblia e orei por ela. No outro dia minha mãe foi ao velório, essa garota era vizinha de uma tia minha, mas eu não a conhecia. Não conseguí ir ao enterro e nem falar com a mãe dela, fiquei muito abalada. E até hoje não entendo o porquê. 

Marina

Um comentário:

  1. Nossa! Que história "macabra" Muito interessante!
    Parabens pelo blog meu caro! Super interessante!
    Continue assim!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...