Busca

terça-feira, 15 de março de 2011

Acidente com um sobrinho

Enviado por: Claudete Feiten Pase

foto: João Carlos Frigério

Olá Robson,

Procurando na net sobre coisas sobrenaturais encontrei teu blog e gostaria de compartilhar este sonho que eu tive com um sobrinho que meus pais, eu e minha irmã que é madrinha dele criamos desde que ele nasceu. 
Quando meu sobrinho completou 18 anos ganhou uma carro semi-novo de seu padrasto. Quando eles chegaram com o carro lá em casa eu tive um pressentimento muito ruim com aquele carro. Era um Corsa branco importado, três portas e rebaixado de fábrica, com teto solar. Muito lindo. Uma beleza. Mas na hora, não sei explicar não fiquei contente com aquilo. Senti um mau estar só de olhar para o carro.
Ele mora conosco e a garagem fica embaixo do meu quarto. Um sábado à noite, ele havia brigado com a namorada da época e recebeu um amigo em nossa casa, jantaram e ficaram tocando violão e tomando cerveja até umas duas horas da madrugada.
Subitamente acordei com o barulho do motor, meu sobrinho estava saindo naquela hora. Sentei na cama e fiz o sinal de cruz e pedi: "Meu Deus do mesmo jeito que ele está saindo agora traga ele de volta: são e à salvo". Ele já havia saído muitas outras vezes e eu nunca havia acordado. Nunca havia me preocupado. Fiz aquilo de forma automática e voltei a dormir tranqüilamente.

De repente acordei com o estrondo de um carro, como se tivesse batido em uma pedra. Vi o carro voando, capotando por três vezes e parando de pé. Tentei desesperadamente segurar o carro para que não capotasse e acordei com os braços no ar fazendo gestos como se quissesse parar o carro. No meu sonho o carro era branco, mas não era o Corsa, eu vi um Pálio capotar. Vi os bancos de cor azul e duas pessoas estavam dentro dele, vi os vidros se estilhaçando e pulei da cama. 

Corri para a porta da frente da casa porque o estrondo foi tão violento que eu imaginei que meu sobrinho tivesse capotado o carro na avenida que fica à uma quadra de nossa casa ou na esquina, onde sempre acontecem acidentes de madrugada. Ao sair na sacada a rua estava quieta, tranqüila, não havia sinal de nada, nem de ninguém. Minha mãe me ouviu e perguntou o que houve, para não assustá-la falei que achava que um de meus gatos estava miando lá fora. Fui pra o quarto de minha irmã e acordei ela. Falei, acorda! o Luis capotou o carro. Eu tentei evitar o acidente e não consegui. Ela perguntou de onde eu havia tirado aquela ídéia maluca. Eu disse você não ouviu o estrondo do carro capotando? Eu ouvi. Ele capotou o carro. Achei que tivesse sido aqui na esquina ou na avenida mas não tem nada. Vamos ligar para o celular dele.
Ela disse capaz, você sonhou. O barulho foi de um carro que deve ter enroscado em uma pedra. Vá dormir. Não aconteceu nada.
Fui para a cozinha, olhei o relógio e marcava 5h30min da manhã. Tomei um copo de água, mas fiquei intrigada com o que vi no sonho, me sentia ofegante e cansada por tentar segurar aquele carro.
Fui deitar. Quando passava um pouco das 6 horas da manhã o telefone tocou, eu dei um pulo da cama e atendi a extensão da cozinha. Era a mãe de meu sobrinho dizendo que ele havia capotado o carro meia hora antes, desabei sentada no chão da cozinha e minha irmã me olhou apavorada. Eu olhei para ela e disse viu, eu te falei que ele capotou o carro e ela não conseguiu mais ficar em pé.. Exatamente na hora que havia sonhado aconteceu o sinistro, capotou três vezes e parou de pé como eu vi no sonho. Ele sabia que tinha seguro e ligou do celular para a mãe dele chamar a polícia.
Por sorte ele só machucou o joelho e o amigo dele teve algumas escoriações no rosto e na cabeça por causa dos estilhaços dos vidros. Eles estavam de cinto e pelo estado que ficou o carro não dava para dizer que alguém havia sobrevivido.
Se eu não tivesse levantado e contado para minha irmã, nem eu mesma acreditaria no sonho que tive. Foi tudo muito real. Me vi inclusive parada na beira do asfalto. Parecia que eu estava ali, mas do lado de fora do carro. Depois ele contou que estava indo pelo asfalto e pegou um declive no acostamento, perdeu a direção e começou a capotar. Falou inclusive do estrondo que ouviu na hora do capotamento. Igual ao que eu ouvi, só que ele estava há mais de cem quilômetros de nossa casa em uma estrada que vai para o interior de nossa cidade, onde morava a namorada que ele havia brigado.
Uma amiga espírita, explicou que meu espírito estava junto ao espírito dele e que de fato eu e meu anjo de guarda nos transportamos para evitar o pior. Será!?
Até hoje não me convenci do que pode ter sido esta experiência que tive. Foi unica, mas jamais vou esquecer!
Sempre que ele sai continuo pedindo proteção para ele. Mas Graças ao Bom Deus jamais aconteceu sequer algo parecido. E aquele carro foi pro ferro velho com perda total. 

Claudete Feiten Pase
Passo Fundo - RS


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...